O Assédio Moral – Como Prevenir

Como Prevenir Que Ocorra em Sua Empresa?

Levemente ao contrário do enunciado do post, é impossível (em um único post) ensinar como prevenir em 100% que ocorra o assédio moral em uma empresa. Entretanto, medidas básicas evitam muito bem este mal, e que a empresa chegue a pagar os absurdos de multas que são julgados pelos TRT’s do Brasil inteiro, bem como perder a produtividade de sua equipe por atitudes impensadas. Este post é mais longo, sim, mas é mais voltado para empresários, gestores, líderes, etc… Não deixe de lê-lo por completo…

pesquisa de clima avaliacao interna empresarialComo evitar que ocorra em sua empresa? Pode parecer difícil evitar que ocorra, principalmente quando a empresa é grande demais. Quanto mais funcionários uma empresa possui, maior a dificuldade de se manter o controle. Logo, descobrimos os problemas, que vem desde antes deste crescimento, ou que já se iniciam junto com a empresa, quando ela ainda é pequena. Antes de saber como prevenir ás ocorrências de assédio moral em uma empresa, precisamos primeiro saber quais são os motivos que fazem com que este problema apareça. Trataremos então primeiramente disto, para que possamos entender o que leva ao assédio moral, para posteriormente começarmos a prevenir que o assédio moral ocorra.

Os Principais Motivos

É difícil entender ou levar na consciência que um “assediador” pode ser uma pessoa qualquer, até mesmo aquela extremamente calma e que trata todo mundo com cortesia. Porém este erro qualquer um pode cometer, basta perder o controle de si mesmo ou o de suas atitudes e palavras. Mas ainda assim, existem aquelas pessoas predispostas a cometer o assédio moral, seja por falta de preparação, ou mesmo por falta de caráter, que deveria ter vindo junto de sua criação em família. Como já citei em um post anterior, “um líder não nasce, se faz”, então vemos que é comum dentro de empresas a escolha de pessoas “realmente equilibradas e aptas” para assumir cargos que exijam a gestão de pessoas como um de seus focos. Dentre os motivos mais comuns que levam “chefias” a cometer o Assédio Moral, criei esta lista para destacar alguns deles:

- Inexperiência em lidar com pessoas.

- Incapacidade de lidar com a pressão.

- Não saber lidar com conflitos.

- Falta de controle da empresa para com os Líderes da organização.

- Falta de comunicação entre os funcionários.

- Excesso de trabalho.

- Desmotivação.

- Cansaço.

- Falta de expectativas profissionais.

- Imaturidade.

- Sadismo (acredite, existe mesmo)

- Disputa ou rincha pessoal.

- DESPREPARO.

O Caminho do Assédio Moral no Trabalho

O Caminho do Assédio Moral no Trabalho

O último já foi colocado em letras maiúsculas, pois justamente é um conjunto de atitudes que mostra o despreparo para assumir este cargo/função. A responsabilidade desta preparação na hora de efetuar a “promoção” de algum funcionário é exclusivamente da empresa, e na hora da contratação externa para esta função, apesar de ter de contratar um profissional que já possua experiência no como Gestor,  também é da empresa, pois uma pessoa deve ser situada antes de assumir um papel que é de importância extrema dentro da corporação.

No post anterior, denotamos aspectos e colocamos vários exemplos de assédio moral, mas como entender por que este assédio ocorreu? A partir daí, deste entendimento, começamos a saber como evitar que este mal ocorra. De que forma a lista acima faz saber os aspectos que devemos evitar? Por exemplo, o “cansaço físico e mental” derivado do “excesso de trabalho” ou do “excesso de pressão”, faz com que uma pessoa perca, de alguma forma, o controle de suas atitudes ou não meça a conseqüência de suas palavras. Este é apenas um dos milhares de exemplos que podemos dar misturando a lista acima, então percebemos que podemos usar esta lista como uma combinação, fazendo com que uma coisa leve sempre a outra. Agora entende? Não é necessário ser psicólogo para saber que em um momento de raiva, uma pessoa age com raiva. Então para que incitar isto? Fica sob total responsabilidade de a empresa fornecer um ambiente de trabalho agradável para que possa um “Líder Gestor” trabalhar em paz e colocar em prática os princípios básicos da liderança. Outro exemplo clássico é a falta de comunicação, que faz gerar conflitos desnecessários, como “a cobrança de um relatório” que na verdade já foi até entregue. Uma vez compreendido, podemos partir então para ás atitudes relevantes para a prevenção.

Inexperiência em Escolhas:

O mais comum dentro das empresas é a promoção de pessoas que possuem o perfil de liderar equipes, e então começar soltá-las para que consigam carregar uma equipe para cima. O problema é que não é simples detectar o “brilhantismo” correto para a escolha de um Líder. Um dos problemas comuns é o de arrependimento, onde uma pessoa é escolhida, e posteriormente a empresa se arrepende de não ter escolhido outra. Também é comum, dentro deste aspecto, a empresa escolher uma pessoa por que “ela já conhece bem este trabalho” ou por que “ela tem experiência com este serviço há mais de 10 anos”, ou coisas assim. Esta é a pior parte, pois a pessoa nem mesmo foi avaliada para se saber se ela é capaz de LIDERAR! Existem vários testes e avaliações psicológicas para se resolver isto, então uma empresa DEVE, impreterivelmente, usá-las.

Lidar Com Conflitos Reais, e Identificar os Verdadeiros Problemas: O Problema do Excesso de Confiança e Auto-Confiança!

Esta dificuldade é mais comum do que se pensa. Muitos Empresários, sócios, ou gerentes, seja lá qual for o cargo de hierarquia superior, “se acham” capazes de resolver os problemas da empresa. Não pedem conselhos ou ajuda, não questionam e acham que por ouvir e prestar atenção ao que lhes levam estão fazendo um ótimo trabalho. Conflitos ocorrem dentro da empresa, e o pior deles é quando uma pessoa tenta simplesmente passar por cima da outra. Seja por medo de perder uma oportunidade de crescimento, ou por simplesmente querer que aquela pessoa seja mal vista. Vou citar, como exemplo (rapidamente) um caso bem familiar que ocorreu comigo dentro da empresa na qual eu estava há até pouco tempo. “Pessoa 1: Alexandre, pode dar uma opinião nesta planilha, se você acha que tem algo a corrigir? Alexandre (Eu): Claro. (Alguns segundos depois…) Alexandre (Eu de novo): está ótimo, basta só colocar o logotipo da empresa que você já pode levar para a secretaria de saúde. Pessoa 1: Muito obrigada, se não tem mais nada a acrescentar na planilha então está ótimo. (Mais alguns segundos depois…). Pessoa 1 para a pessoa 2: Olha Só “pessoa 2”, acabei de pedir para o Alexandre fazer uma planilha e ele simplesmente não quer fazer. Pessoa 2: Como assim? Pessoa 1: Eu simplesmente pedi para ele fazer uma planilha e ele não quer fazer” (a Pessoa 2 é um colega também, a pessoa 1 outro(A) colega). Bom, já sabemos como irá terminar esta história? Não, pois eu ouvi esta conversa de outra sala, e fiz questão de fazer com que todos soubessem da verdade antes de o boato se espalhar. Como? Escolhendo as pessoas certas a quem contar o ocorrido. O que ACONTECERIA no final? Simplesmente, devido ao excesso de confiança depositado na pessoa 1 pelos sócios da empresa, algum feedback poderia acabar sendo passado, e o conflito se tornaria pior depois de alguns dias. Lidar com conflitos não é simples, principalmente quando uma pessoa tem o seu trabalho muito bem visto, e a PESSOA 1 não apenas não faz direito o trabalho dela, como perde tempo em situações (várias) como esta. Como resolver: OUVINDO TODAS AS PARTES, reelaborando a estória com tudo o que ocorreu, SEM DEIXAR MARCAS.

O Excesso de trabalho e de pressão, a desmotivação, o cansaço e UMA FALSA VISÃO DE DESPREPARO:

Gestão Circular não efetua qualquer tipo de venda nem possui qualquer tipo de anúncio, e seu conteúdo é de acesso livre a todos os públicos.

A partir do momento que uma empresa possui menor contingente do que o necessário, ou que possui o trabalho mal distribuído entre os devidos “chefes”, ou por que simplesmente não possui os Chefes e joga nas costas dos funcionários de baixo escalão as resoluções que deveriam ter cargos específicos para fazê-lo, temos pessoas desmotivadas e com sobrecarga. Isto leva a um cansaço tão extremo que a pessoa parece estar “mole”, fazendo muito mais do que deveria, e ainda sofrendo por que os seus superiores acham que ela “não conseguiu”. O pior é ouvir depois sobre isto, como se houvessem esquecido ou não enxergassem tudo o que esta pessoa faz ou fez. Criticar esta pessoa fará com que o seu trabalho renda menos ainda, e irá gerar a pessoa que cobrará na justiça não apenas o assédio moral pelas coisas que ouviu de seu trabalho a menosprezando, mas também o desvio de função a equiparação salarial, etc, etc, etc… Entrei em mais de cem audiências como preposto para empresas, e posso dizer com firmeza: A empresa terá de pagar por todas as solicitações em dobro. Em nenhum dos casos presenciei uma empresa que não tivesse de pagar valores extremamente altos no final do processo. A solução para isto é COMUNICAÇÃO e a INTELIGÊNCIA. É necessário ter dentro da empresa uma pessoa preparada para distribuir as tarefas, controlar os líderes (o “coordenador”) e para saber em que ponto trabalhar com cada pessoa INDIVIDUALMENTE. Deve-se trabalhar com os líderes na empresa, manter o foco nos funcionários e lembrar que os números sempre são trazidos por eles. A visão errada sobre funcionários devido à própria falta de preparo para entender corridos trará prejuízos sérios a empresa. O uso do feedback individual, e mesmo do feedback 360 ajuda muito a resolver este, e diversos outros problemas problema.

Feedback 360º... Uma Sábia Escolha para descobrir a realidade empresarial...

Feedback 360º… Uma Sábia Escolha para descobrir a realidade empresarial…

Ferramentas de Solução:

Muitas são as ferramentas desenvolvidas pelas empresas para prevenir o assédio moral. Grandes empresas chegam a gastar uma nota alta apenas em treinamentos para desenvolver pessoas procurando evitar que o mesmo ocorra, e normalmente só fazem isto apenas depois de gastar uma nota preta com os problemas derivados do assédio. Antes de ter problemas com isto, a empresa já deve tomar as suas medidas e precauções, para que não tenha problemas futuros. Eu sei que este texto está muito longo, mas ele realmente é uma matéria sobre o assunto. Como isto é um blog, e não um site de treinamento online, vamos listar apenas algumas coisas que auxiliam a mudar significativamente a realidade de uma empresa.feedback conversa amigavel gestao

O primeiro ponto: O feedback Individual. Feedback individual é dado, ao menos, uma vez por mês ao funcionário, não importa o cargo que ele ocupe. Neste são explicados (de maneira calma e tranqüila) os pontos positivos e negativos que o funcionário possui, principalmente os pontos nos quais ele deve melhorar. Tratando-se de atitudes que ecoem como assédio aos olhos dos outros, estes devem ser pontuados e tratados de uma forma que o funcionário em questão entenda qual a maneira correta de agir nestas e em outras situações.

O segundo ponto: O feedback pontual: Neste caso, aplica-se um feedback ao funcionário com “pontualidade”, ou seja,  no momento em seguida em que o ato aconteceu, seguindo a mesma relevância do feedback Individual, visto acima.

Terceiro ponto, reuniões e treinamentos constantes: Deve ser aplicado a todos os que possuem cargos de chefia um treinamento freqüente e também reuniões sobre o tema, sinalizando pontos já ocorridos, fatos que já se passaram para exemplificar, ou coisas que possam vir a ocorrer ou poderiam ter ocorrido, explicando sempre como deve-se agir em cada situação, e mantendo a veracidade e a realidade do ser humano, que é quem faz a empresa, mostrando que os mesmos possuem necessidades básicas e que existem atitudes que para estes são intoleráveis.

Saúde do Trabalhador em 1º LugarLembrem-se sempre: Cada ser humano vive a sua realidade, e não é na nossa realidade que ele tem de caber, e sim nós devemos adaptar o que for necessário para que cada funcionário tenha o seu espaço, e as suas necessidades supridas.

Alexandre FiorentinTwitter

Mantemos abaixo a Enquete da semana passada, com as mesmas votações, para que todos possam continuar votando.

About these ads

3 Comentários

Arquivado em Assédio Moral, Como Prevenir, Liderança, Princípios, RECURSOS HUMANOS

3 Respostas para “O Assédio Moral – Como Prevenir

  1. Loren

    Texto MARAVILHOSO Alexandre!
    Parabéns!
    O assédio moral numa empresa é a pior coisa que pode acontecer. Existem histórias de suicídio em função disso.
    Acho que o pior caso é quando o assédio é tanto que o empregado acredita ser incapaz de conseguir outro emprego.

  2. Marina

    Maravilhoso!!! Se alguns profissionais seguissem isso com certeza o ambiente de trabalho seria melhor assim como o rendimento de cada funcionário… Não sei se foge muito da temática do blog, mas gostaria de ver um artigo sobre os prós e contras de Bacharelado x Tecnólogo.

    • Marina, sobre o artigo relacionando a diferença entre os “prós e Contras do Bacharelado X Tecnólogo”, haverá no blog uma outra seção que é “Gestão em TI” e nela haverá uma explicação sobre Bacharelado, Licenciatura e Tecnólogo, onde na verdade não Pós e Contras, e sim a realidade de cada um, onde existe a diferença de adaptação de cada ser humano a um tipo de curso ou outro, ou ao desejo individual dentro do curso.

Deixe seu Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s